É MAIS QUE VOAR

- Desde 2008 - Notícias | Aviação | Investimentos | Economia | Viagens |

AVIAÇÃO EXECUTIVA | Business Aviation

DEFESA | Defense

Asas Rotativas | Helicopters


Airbus desenvolve solução para companhias aéreas usarem aeronaves de passageiros para operações de carga neste período de crise | Foto © Herbert Monfre - Fotógrafo de Aviões | por É MAIS QUE VOAR

Essa solução ajudará na continuidade dos negócios das próprias companhias aéreas, além de aliviar a escassez global de capacidade de frete de carga aérea, em razão da inatividade generalizada de aeronaves de longo curso causada por essa pandemia que o mundo enfrenta.


A Airbus desenvolverá modificações estratégicas para as aeronaves das famílias dos modelos A330 e A350, que permitirão que as companhias aéreas “instalem” paletes de carga diretamente nos trilhos do assento da cabine, após a remoção das poltronas da classe econômica.

Essa solução ajudará na continuidade dos negócios das próprias companhias aéreas, além de aliviar a escassez global de capacidade de frete de carga aérea, em razão da inatividade generalizada de aeronaves de longo curso causada por essa pandemia que o mundo enfrenta. Além disso, o aprimoramento ajudará o setor a atender rapidamente à alta demanda de voos humanitários para transportar grandes quantidades de equipamentos médicos e outros suprimentos por grandes distâncias, para onde são necessários.

Em comparação ao já existente carregamento de carga, essa nova solução da Airbus tornará as operações de carregamento e descarregamento mais fáceis e rápidas, além de reduzir o desgaste dos assentos.

Outros benefícios importantes incluem a segurança adicional de proteção contra incêndio e a capacidade de restrição de carga para impedir qualquer deslocamento durante o voo.

A modificação é fornecida para os operadores como um Boletim de Serviço da Airbus (SB). Sob este acordo, a Airbus define o escopo de trabalho de engenharia e gerencia o processo para obter a certificação única da Agência Europeia para a Segurança da Aviação (EASA).

Seu escopo inclui a remoção de assentos e IFE (in-flight entertainment), instalação de paletes de carga e equipamentos de segurança e a posterior reinstalação dos elementos originais da cabine para o retorno das operações de transporte de passageiros. A modificação SB também será válida para além da pandemia atual.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

2021 © É MAIS QUE VOAR