É MAIS QUE VOAR

- Desde 2008 - Notícias | Aviação | Investimentos | Economia | Viagens |

AVIAÇÃO EXECUTIVA | Business Aviation

DEFESA | Defense

Asas Rotativas | Helicopters

FAB decola rumo à Ucrânia com 11 toneladas de cargas em ajuda humanitária durante Operação de Repatriação

FAB decola rumo à Ucrânia com 11 toneladas de cargas em ajuda humanitária durante Operação de Repatriação | MAIS QUE VOAR

 


A Força Aérea Brasileira (FAB) enviou em 7 de março de 2022 uma aeronave KC-390 Millennium com a missão de resgatar os brasileiros que estão deixando a Ucrânia. O voo de ida a aeronave está com uma logística embarcada em 11,6 toneladas de ajuda humanitária para o país europeu que sofre com a Guerra invadida pela Rússia. A carga enviada é composta por alimentos (saiba mais detalhes mais adiante deste artigo), purificadores de água e medicamentos provenientes de doações. O material foi acondicionado em paletes, isto é, em plataformas usadas para empilhar ou transportar materiais por meio de empilhadeiras, carregado no KC-390, que teve origem no domingo, 06 de março de 2022, onde às 10h35, decolou da Base Aérea de São Paulo (BASP), em Guarulhos (SP), chegando, no mesmo dia, à Base Aérea de Anápolis (BAAN) às 13h35.

 

Conforme o cronograma da missão, a carga foi realocada em outro KC-390, que decolou da Base Aérea de Brasília (BABR), no dia seguinte ao dia 7 de maço. O destino final da aeronave é Varsóvia, capital da Polônia, onde os cidadãos devem embarcar conforme definições do Ministério das Relações Exteriores (MRE).

 

FAB decola rumo à Ucrânia com 11 toneladas de cargas em ajuda humanitária durante Operação de Repatriação | MAIS QUE VOAR

Com a assistência da Embaixada do Brasil em Varsóvia, a doação brasileira seguirá da capital polonesa para seu destino final, na Ucrânia. A missão ocorre por determinação da Presidência da República sob coordenação do Ministério da Defesa (MD) e do MRE.

 

Para o Chefe da Seção de Operações do Primeiro Grupo de Transporte de Tropa (1º GTT), Major Aviador Daniel Elias Souza, a condução da missão humanitária gera um sentimento de satisfação muito grande para o Esquadrão Zeus. "O planejamento, parte fundamental do processo, foi um desafio que demandou atenção em cada detalhe e, nesse contexto, toda nossa equipe tem trabalhado ininterruptamente para que a missão seja cumprida de maneira eficiente, em segurança e sem óbices. Nesse momento, estamos convictos que a bandeira do Brasil mais uma vez será erguida a um alto patamar pelas nossas tripulações, representando, internacionalmente, todo profissionalismo, altruísmo e dedicação dos diversos setores da Força Aérea Brasileira", destacou.

 

A logística de 11 toneladas rumo à Ucrânia

 

Fez parte da carga enviada para a Varsóvia 50 purificadores de água, de tecnologia e fabricação nacionais (com capacidade combinada para purificar cerca de 300 mil litros de água por dia); 50 kits voltaicos com painel solar para abastecer o equipamento de energia de forma autônoma; 10 toneladas de alimentos desidratados de alto teor nutritivo (400 mil refeições); e 5 kits de medicamentos para emergências médicas, oriundos dos estoques públicos administrados pelo Ministério da Saúde, sem comprometer o abastecimento nacional.

 

    Foto © Juliano Palma.


A logística de entrega da expressiva carga de alimentos somente foi possível graças ao esforço conjunto e abnegado, em pleno Carnaval, do Movimento União BR e das empresas Simple Nutri, LATAM Airlines e Luna Express, e à estreita coordenação com o Governo Federal e as Nações Unidas.

 

Foto © Juliano Palma.


A pedido da Agência Brasileira de Cooperação, as Nações Unidas adquiriram 10 toneladas de alimentos desidratados, 100% naturais, de alto teor nutritivo e reconstituição fácil e instantânea. Essa carga essencial foi fornecida pela Simple Nutri, uma empresa brasileira de alimentos desidratados que atua no empreendedorismo social com o objetivo de combater a fome e à desnutrição conectando diversos setores da sociedade com alcance global – que atuou em catástrofes recentes, como no terremoto ocorrido do Haiti e nas enchentes na Bahia, em Minas Gerais e no Maranhão e nos deslizamentos em Petrópolis (RJ). Agora, seus risotos e suas sopas irão não apenas saciar a fome dos ucranianos, mas sobretudo alimentá-los, física e psicologicamente.

 

Compradas pela ONU, alimentações desidratadas são fabricadas pela empresa brasileira Simple Nutri
Foto © Simple Nutri | Divulgação.


“Diante de uma situação tão grave como essa, é muito importante conseguir ajudar aqueles que mais precisam. Nossos alimentos serão fundamentais para garantir a nutrição e sobrevivência de milhares de vítimas que estão vivendo de perto esse conflito”, afirmou Rafael Romano, fundador da Simple Nutri.

 

Para o Itamaraty, a união de todos foi fundamental para viabilizar a operação. Esses alimentos, assim como os demais itens da doação humanitária do Brasil, foram reunidos “para atender às necessidades mais prementes do povo ucraniano”, explicou em nota da Chancelaria brasileira.

 

Atuante em todo o Brasil desde o início da pandemia da COVID-19, o Movimento União BR foi o responsável pela articulação logística nacional, aérea e terrestre, que, em um átimo, conseguiu trazer os alimentos da Simple Nutri do interior do Rio Grande do Sul até a Base Aérea de São Paulo, em Guarulhos, para embarque naquela aeronave da FAB. Essa força-tarefa foi possível graças à parceria com a LATAM, por meio do seu programa “Avião Solidário”, que oferece transporte gratuito de pessoas e cargas em emergências de Saúde, Meio Ambiente e Desastres Naturais, e a Luna Express, que cedeu seus caminhões e suas equipes.

 

Foto © Juliano Palma.


"Conseguimos transportar as 400 mil refeições do Rio Grande do Sul para São Paulo com uma operação aérea e terrestre de emergência no meio do carnaval e em menos de 30 horas", conta Tatiana Monteiro, fundadora do movimento União BR. "Foi realmente uma iniciativa entre empresas, os movimentos e a sociedade civil. Todos fortalecidos por um bem maior, o que reforça a importância do trabalho em conjunto e toda a força da sociedade civil organizada”, conclui.

 

O União BR é um movimento nacional apartidário que reúne voluntários de todo o Brasil e foi fundado no início da pandemia no País, em março de 2020. Presente em 24 estados, já beneficiou mais de 15 milhões de pessoas e arrecadou mais de R$ 280 milhões, usados na doação de equipamentos de proteção individual (EPI), na aquisição e distribuição de toneladas de alimentos, na criação de leitos, equipamentos e insumos hospitalares e na gestão de cursos.

 

O Movimento União BR também liderou doações de usinas e mini usinas de oxigênio para o Estado do Amazonas, na campanha SOS Manaus e auxiliou na geração de renda para os manauaras. Ademais, atuou no SOS Bahia, apoiando a reconstrução do Estado, após as fortes chuvas no sul da região, no final de 2021.

 

Em 2020, o Movimento União BR foi vencedor do Prêmio Empreendedor Social e prêmio Escolha do Leitor de 2021; é reconhecido pela ONU como case mundial. Sua missão é realizar o trabalho assistencial, a fim de promover um legado nos lugares em que atua, formando um hub de ajuda emergencial.

 

Leitores de MAIS QUE VOAR já sabem da LATAM Airlines Group através de seu programa chamado “Avião Solidário”. O programa existe há 10 anos e coloca à disposição de diversas comunidades da América do Sul toda a experiência logística e a malha aérea da LATAM para o transporte gratuito de pessoas e cargas em emergências de Saúde, Meio Ambiente e Desastres Naturais. Está diretamente conectado com a Agenda de Sustentabilidade do grupo LATAM, que conta com metas em Gestão Ambiental, Mudança Climática, Economia Circular e Valor Compartilhado.

 

Operação Repatriação

 

O pouso do voo de ida na capital polonesa está previsto para quarta-feira (9) e os 70 brasileiros repatriados devem chegar ao Brasil na quinta-feira (10).


 

Essa publicação é um conteúdo cedido pela Agência Força Aérea de autoria original pela Tenente Marayane e Aspirante Eniele da Força Aérea Brasileira (FAB) e informações de referência da União BR e a Simple Nutri cedidos por FSB Comunicação de autoria original por Sthephanie Thomazini e Felipe Aragonez. Texto e artigo adaptado por MAIS QUE VOAR.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

2022 © É MAIS QUE VOAR